segunda-feira, 28 de julho de 2008

Concurso II - A missão

Na primeira vez, ele lutou contra as adversidades, mas acabou derrotado. Agora, diante de uma missão muito maior, ele busca vingança...

Oh, yeah, man. Começa o intensivo para um novo concurso. Salário maior, vagas nem tanto, ementa complexa e previsão de alta disputa. Tudo para virar biólogo da fundação ambiental do estado. Ou, mellhor, como pensam todos os concursistas: tudo para ter emprego estável, depois se a gente passar se preocupa com qual é o trabalho.

Mesmo porque as atribuições dos cargos nos editais sempre são um primor de precisão. Vejam o deste:

Biólogo: Realizar pesquisa sobre todas as formas de vida, efetuando estudos e
experiências com espécimes biológicos; Incrementar os conhecimentos científicos e
descobrir suas aplicações em vários campos como em medicina e agricultura; Realizar
estudos e experiências de laboratório com espécimes, empregando técnicas como
dissecação, anotando e avaliando as informações obtidas; Anotar, analisar e avaliar as
informações obtidas, empregando técnicas estatísticas; Fornecer dados estatísticos e
apresentar relatórios de suas atividades; Emitir laudos e pareceres sobre assuntos de sua
área de competência; e Executar outras atividades compatíveis com o cargo.

O último tópico é simplesmente genial, não? Além de pesquisar, analisar e relatar pesquisas sobre todas as coisas vivas do universo (observe que o edital não especifica "vida terrena"), ainda fazemos tudo o mais que seja compatível com nosso cargo (presumo que isso abra possibilidades para a tarefa "esfregar o chão" - não é "manter o local de trabalho limpo" uma possível atribuição do cargo?).

Esse concurso tem uma sére de vagas espalhadas pelo estado, incluindo megalópoles como São Miguel do Oeste e Canoinhas. Claro que, como eu gosto de me ferrar e depois reclamar da vida, escolhi a administração central em Florianópolis. Pelo menos penso que muita gente preferiu fugir da burocracia e tentar as vagas disponibilizadas nos parques da região. Ou não. Mas enfim, na administração central são duas vagas, nos outros lugares só uma. Oba, concorrência diminuída pela metade, talvez fique só pelos 100 por vaga!

Bom, enfim, está na hora de começar a estudar matemática, legislação ambiental, estatuto do servidor público e ensaios de toxicidade de efluentes e de produtos solúveis e insolúveis com organismos de diversos tróficos.

Como diria o sábio...

... não sou a Globeleza...

... mas lá vou eu!

4 comentários:

Marina Melz disse...

não fala mal de são miguel do oeste não!

Anônimo disse...

Realizar pesquisa sobre todas as formas de vida.


Boa sorte com isso aí.
Mas já aviso que pode demorar uma ou duas semanas....

Rodrigo Oliveira disse...

Eu ia comentar, mas depois do globeleza me recuso. Vc tá estudando demais.

Liliane jacinto Zerger disse...

ai que desânimo colega....afinal estudamos tudo isto durante a faculdade não é mesmo???????